terça-feira, 13 de dezembro de 2011

...Pai Natal…


…Nem tudo que é oferecido têm tanto valor... 
...do que o que possuímos…
  
Como sabes é tempo de presentes,
Tempo de relembrar o que fizemos de errado e de bem,
Traz juízo as mentes prepotentes,
E justiça, que essa sabia tão bem.

Traz a ideia luminosa,
O que ainda ninguém pensou,
E tira-nos desta situação desastrosa,
Altera o trilho, pois a paciência já acabou.

Nesse pequeno saco traz a paz,
Ela que cada vez mais escasseia,
Não prometas, já estamos fartos, faz,
Talvez possamos ter um futuro na meia.

Normalmente não sou de pedir,
Mas estou num país que me ensina a fale-lo,
Pai Natal, desde da rena e ajuda a resistir,
De caminho até o nosso cartão teremos que cede-lo.

Levanta-te do trono,
Já não basta o ano inteiro?
Lembras-te das crianças que recebiam abono?
Ora bem, este natal, já não existe dinheiro.

Pois bem, para quê prendas materiais?
Se estamos numa situação que até para comer esta complicado,
Pai natal, guarda as prendas substanciais,
Acho que é das últimas coisas que pensamos estar na meia pendurado.

Sinceramente não acredito na lenda,
Mas não custa te escrever,
Mesmo que ninguém entenda,
Este é o meu pedido…tinha que o fazer.

…A maior prenda é o presente…pois com ele, podemos proporcionar outras surpresas e presentes…

5 comentários:

  1. Amigo Zin,

    Até que enfim mais uma obra poética, tens andado a falhar e não tenho lido nada teu, mau mau =)

    Ora bem, adorei o poema como sempre, um excelente pedido ao Sr. Pai Natal e aquela estrofe do abono, olha... ri-me, a sério, só tu, só tu e o teu humor poético.

    Volta a escrever rápido (exijo eheheh) pois eu gosto muito de te ler. Vah, até podes demorar a escrever pois sempre que postas algo para mim é um prazer ler.

    Existe qualidade nas tuas palavras. O tempo que demoras a publicar não importa, o que importa é que quando publicas é fantástico ler.

    Um beijo po zin da sua amiga Bilence

    ResponderEliminar
  2. Acreditando ou não sua parte foi feita...
    Confesso q o espírito natalino esse ano está bem longe de mim...

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  3. O presente, tempo, é mesmo uma dádiva.

    Feliz Natal, moço.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Não é preciso crença nem nada, mas que o 'espirito natalino' seja o suficiente para deixar a nossa vida mais feliz, certo?
    Feliz Natal, Beijo!

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!