segunda-feira, 8 de novembro de 2010

…Chama quente…



Sinto o meu coração a “falar”,
Ele entoa no meu corpo,
Ele se mostra, como só ele sabe “gritar”,
É como se fosse um sopro.

“Grita”, por quem ele quer,
Não tem duvidas no que sente,
Ele demonstra em cada acto e no seu “dizer”,
Ele é o único e que nunca mente.

É como uma chama que arde,
Que as achas aumentam a cada instante,
Para este calor nunca é tarde,
O tempo não apaga na memória, é constante.

Nem o frio o arrefece,
Ele continua a bater acelerado,
Nem a noite o escurece,
Não há nada que o deixe intimidado.

Permanece sempre no mesmo local,
Mas porquê que o sinto muitas vezes a voar?
O que sinto não têm nada de mal,
Parece que sai de mim sem hora para voltar.

O seu bater de saudade,
O seu bater descontrolado,
O seu bater de ansiedade,
O seu bater que por vezes me coloca ao lado.

Coração, o verdadeiro,
Que a ele não nada é ignorado,
Que nele tudo é sentido, é certeiro,
Mas é tão bom mantê-lo acordado.

11 comentários:

  1. E quando ele fala, dê total atenção...
    Use a cabeça, siga o coração!

    Beijo!

    ResponderEliminar
  2. Esse seu talento, tem que ser usado viu!
    Porque não escreve um livro em?
    adorei, beijos!

    ResponderEliminar
  3. quanta intensidade!
    achei lindo de tão profundo e ... real ?!

    muito bom mesmo.
    parabéns!

    ResponderEliminar
  4. gosto muito do teu blog e dos teus post's também, vou-te seguir, se me quiseres seguir estás à vontade (:

    ResponderEliminar
  5. Coração é aquele que devemos aquecer (com muito amor) sempre e sempre.... frio, ele morre.

    ótima seman!
    BJãO

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!