sábado, 12 de fevereiro de 2011

…Entre o deitar e o acordar…


By : AlexanderB

Acordei, ainda com peso no olhar,
Pensei que iria ser um dia diferente,
Mas infelizmente,
Nem a monotonia o fez mudar.

A claridade focalizada na minha face,
Fez com que “activa-se” os meus sentidos,
Alguns usam ainda o “disfarce”,
De uma alma que os mantém “adormecidos”.

Os músculos ainda dormentes,
De sonhos nunca lembrados,
Não sei se eram tristes ou contentes,
Nem se para a realidade estarão traçados.

Queria voltar a adormecer,
Para tentar acordar noutra realidade,
E talvez esquecer,
O que em mim “fala”, “não pode ser verdade”.

Queria voltar a ouvir,
A brisa pacificadora,
E não este vento norte, a zumbir,
Desorientando-me a toda a hora.

Queria alcançar o que não invento,
O que sinto impossível de acontecer,
Mas na solidão em que me deito,
Assim não sei viver.

Deito-me novamente,
É talvez a parte melhor do meu dia,
É onde tudo se “desliga”do meu ser, da mente,
E onde posso sonhar e ter tudo que queria.

Nem os meus sonhos constantes,
Ultrapassam esta dor de existir,
Como gostava de ser como antes,
Voltar a ser feliz e sorrir.

7 comentários:

  1. A felicidade volta sempre. Basta querer-mos. *

    ResponderEliminar
  2. e tu a exagerar demasiado :b não tens de qê!

    ResponderEliminar
  3. Gostei...

    Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. DIANTE DE TÃO NOTÁVEL POETA,AS PALAVRAS ME FALTAM.ÓTIMO,GRANDE ABRAÇO.

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!