terça-feira, 22 de março de 2011

…”Voltará?”…



A vontade que habita em mim,
Não se tem mostrado ultimamente,
A inspiração parece desaparecer num ápice assim,
Eu, sem nada poder fazer, por muito que tente.

Apesar de tudo, sinto nas “veias” o latejar,
Das palavras que procuram o talento,
Num mundo que se tentam afirmar,
Contudo, ficam na “gaveta” sem o necessário alento.

As palavras supersticiosas,
Que se escondem nas entrelinhas,
Tomará que fossem sempre vitoriosas,
E que realizassem o meu futuro, sozinhas.

Mas as ideias “escondem-se”, sem eu pedir,
Sem me deixar qualquer pista,
Não as consigo descobrir,
Elas apenas “aparecem” de curta visita.

Na clausura da “voz rabiscada”,
Descrevo e comento esta inspiração,
Parece desaparecer ou precisa ser “cultivada”?
Não saberei responder a esta simples questão.

Talvez o lápis tenha que usar,
Com o auxilio da borracha,
Mas a limpo irei passar,
Tudo que da minha mente esbanja.

Voltarei? Talvez, se “ela” voltar,
Do “cansaço” que se banhou,
Não poderei prometer nem apostar,
Esta inspiração que um dia…me mudou…

3 comentários:

  1. lindíssimo,as vese fico sem palavras diante de sua nobreza.És um poeta maravilhoso.Tens uma bacia de palavras na cabeça? bjos.

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!