sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

…Mentiras…NÃO…



Mentiras, tudo foram mentiras,
Omissões da verdade,
Aos poucos retiras,
Toda a consideração que depositei sem ver a realidade.

Porquê que proferiste?
Porquê que levas-te avante?
Se no fim apenas feriste,
O que eu tinha de mais importante.

Tudo palavras bonitas,
Momentos que agora relembro,
Como enganas-te estas vistas,
Encobriste o melhor de mim, o bater do meu “membro”.

Nunca pedi a fantasia,
Nunca pedi a perfeição,
Mas cheguei ao fim da falésia,
Mais um passo…caio…sem ser preciso empurrão.

Não merecia tamanha desconsideração,
Eu que sempre pautei pela sinceridade,
Mas tu fizeste sem pedir licença nem perdão,
Destruíste tudo que parecia bom e a verdade.

Vives em mundos paralelos,
Duas caras, dois corações,
Para se ser feliz não é preciso atropelos,
Muito menos ferires a confiança com contradições.

Cheio de distorções da veracidade,
Cheio de ilusões infundadas,
Isso não trará a ninguém felicidade,
Muito menos a pessoas como eu, acordadas.

8 comentários:

  1. Mentiras nunca trazem felicidade!:S

    ResponderEliminar
  2. mentiras serao sempre mentiras =$
    a imagem diz tudo tambem.

    ResponderEliminar
  3. o problema é esse quando arrastam os outros para esse bola de neve

    infelizmente é assim, mas é como dizes, cabe nos sair dessas situações de cabeça erguida :p

    ResponderEliminar
  4. gostei tanto :'o
    não costumo apreciar destes textos mas está tão completo :)

    mentiras por muito pequenas, grandes, no passado ou no presente, seram sempre mentiras

    ResponderEliminar
  5. Gosto de quem escreve com a alma e de maneira autêntica assim como você, vou marcar o caminho pra não me perder, pois por certo voltarei.


    Beijos...

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!