quarta-feira, 6 de outubro de 2010

…Inspiração desconcertante…



A mente esta vazia,
Sem inspiração passível,
Escrever algo, eu queria,
Mas hoje, parece impossível.

Tudo parece sem cor,
Quando olho a minha volta,
Mesmo querendo dar a tonalidade e o sabor,
Parece que estou “preso”, solta.

Num mundo de fantasia,
Em que não quero ser personagem,
Não quero varinhas de condão nem magia,
Quero tudo real, tudo a margem.

Não quero ser príncipe encantado,
Não desejo princesa,
Quero a simplicidade e a sinceridade sempre ajustado,
Se for assim, eu “pago” a despesa.

Não quero castelos,
Não quero montes nem vales,
Prefiro andar de chinelos,
E ter essa “pedra preciosa”, a felicidade, longe de todos os males.

Não quero fadas madrinhas,
Não quero historias de embalar,
Quero viver as minhas,
Deixo para os outros as de encantar.

É nesta inspiração desconcertante,
Que me encontro no momento,
Palavras soltas, pensamentos berrantes são uma constante,
É o que vai aqui dentro, neste sentimento.

9 comentários:

  1. Fico imaginando se vc tivesse inspirado,o que escreveria então hem? fantástico poeta,parabéns é pouco pra comentar.Como sempre ótimo,abraços.

    ResponderEliminar
  2. e verdd..temos q sonhar sempre, se nao paramos no tempo:P

    hehehe

    ha sonhos q lembramos outros q sao estupidos e q nem seqer lembramos e depois ah pesadelos! q e kando a nossa mente esta cansada!dai q xamamos de pesadelo!

    mas sonhar, sonhamos sempre! e eh tao bom msm!

    lindoooo o poema como sempre:P


    beijinhos

    ResponderEliminar
  3. ai isso e o q nos qeremos sempre:S mas as vezes n resulta:S mas ponto!!!

    de nada menino:D

    so disse as verdades:p

    beijinhs

    ResponderEliminar
  4. o tempo nao cura tudo , mas ajuda (:
    adorei .

    ResponderEliminar

Gostas-te? Não deixes de comentar e seguir :) Obrigado!